Segurança Contra Incêndios Residenciais

Tempo de leitura: 10 minutos

A Segurança Contra Incêndios Residenciais

Minha Experiência com Incêndios Residenciais

Na época que eu levava minha noiva para o pré-vestibular, me deparei com incêndio ao lado da casa dela.

Era por volta das 7h 15 da manhã, eu estava buscando ela para um simulado do pré-vestibular.

Percebi que havia muita fumaça na casa ao lado. Era mais um na lista dos incêndios residenciais.

Havia dois quartos no segundo andar que dois irmãos compartilhavam. Na época, um tinha 6 e outro uns 9 anos aproximadamente.

Como era época de fogueiras de São João, as crianças tiveram a brilhante ideia de fazer uma fogueira com fósforos em um gaveteiro que ficava um pouco distante da cama.

Quando meu instinto de Profissional de Segurança Contra Incêndio analisou todo o quadro, logo todo treinamento que tive entrou em ação em milésimos de segundo.

Quando percebi a presença de chamas, chamei a minha sogra e pedi que ela ligasse imediatamente para o corpo de bombeiros.

Entrei na casa para entender melhor que estava acontecendo. No quintal havia uma piscina, então decidi molhar algumas toalhas que estavam na corda e enrolei no meu corpo para suportar o calor.

Em seguida, entrei na casa e subir pela escada. Quando cheguei na parte de cima, percebi que as crianças estavam apavoradas no canto do quarto sem saber como agir. O calor já estava muito intenso.

O pai estava paralisado do lado de fora, sem nenhuma atitude. Ele não tinha a menor ideia do que iria fazer para salvar os seus filhos e já chorava muito em tom de lamentação.

Entrei no quarto e conduzi as crianças para a saída me colocando como barreira para o fogo, em seguida, consegui descer com elas.

Seria uma tragédia certa.

Agradeci a Deus pelo treinamento que tive, pois ele me proporcionou calma e frieza para tomar todas as atitudes automaticamente, sem nem pensar.

Arrisquei minha vida sem fazer nenhuma ponderação. Apenas fiz o que fui treinado para fazer.

Naquela manhã, duas imagens ficaram gravadas na minha mente: a primeira foi dos vizinhos chegando com muitos baldes na mão sem a menor noção que não havia como fazer aquela água alcançar o segundo andar. A falta de conhecimento é um dos fatores mais preocupantes em incêndios residenciais.

A segunda imagem foi a ver parte superior da casa toda destruída pelas chamas.

Lembro de muitos brinquedos, armários e roupas destruídos. Uma visão bem triste.

Os bombeiros chegaram, mas o incêndio já estava controlado. Eu olhava para o segundo andar tão triste que não via nada ao meu redor.

Foi uma manhã marcante para mim, principalmente pelas perdas materiais daquela família.

Incêndios Residenciais no Brasil

Quantos incêndios residenciais aconteceram nos últimos anos no Brasil?

Qual a melhor forma de me proteger caso haja um incêndio rensidencial?

Quanto tempo o Corpo de Bombeiros demora para chegar à minha casa?

Dá tempo de salvar sua família?

Qual a possibilidade de acontecer um incêndio à edificação que você mora?

Quando analisamos os números que quantificam os incêndios residenciais no Brasil, chegamos a um grande quebra-cabeça. Não há nenhuma entidade, público ou privada, capaz de organizar e publicar uma resposta clara.

Ou seja, hoje é impossível saber exatamente a quantidade de incêndios residenciais, logo não dá para estudar suas principais causas e combatê-las.

Não dá para verificar se determinada medida A ou B fosse tomada teria maior sucesso para  salvar vidas.

É bom destacar que apenas 14% dos municípios possuem a presença de corpo de bombeiros e o tempo de chegada destes profissionais à uma edificação em chamas é uma verdadeira incógnita.

Últimos Incêndios Residenciais Importantes

Bombeiro civil

Dois incêndios em prédios residenciais marcaram de uma forma trágica o ano de 2017:

O Incêndio da Grenfell Tower em Lodres teve, pelo menos, menos 80 mortes. E um incêndio em um prédio no Bronx, Nova York, este foi no dia 29, época de comemorações o qual levou à morte 12 pessoas.

Nós, normalmente, tendemos a identificar o incêndio pela quantidade de mortos e feridos, mas é muito importante perceber que foram mães, pais, filhos, recém-nascidos.

Há toda uma história por traz de cada uma destas mortes. Verdadeiras tragédias.

Pesquisas Sobre Incêndios Residenciais

Pesquisa experimental voltada à residência vem apresentando dados muito interessantes.

Chamam atenção para o fato da velocidade dos incêndios residenciais ser muito rápida. A situação normalmente sai do controle entre o primeiro e o quarto minuto.

Esse tempo é o que separa o princípio de incêndio do incêndio propriamente dito.

Para se ter uma ideia melhor, a NIST (National Institute of Standards and Technology) testou o desenvolvimento de um incêndio em duas salas decoradas com diferentes tipos de mobílias.

Uma montada com mobílias da década de 50 e outra com móveis comprados em uma loja de departamento em 2008.

Estas salas tinham as mesmas dimensões e a mesma disposição dos móveis.

Durante o teste, na sala com móveis antigos o desenvolvimento do fogo era tal que, aos 3 min 50s, com um copo d’água você conseguia extinguir o fogo, enquanto a outra sala montada com móveis atuais o fogo já havia tomado todo ambiente.

O que Fazer para Evitar os Incêndios Residenciais?

extintores

Todos os equipamentos de proteção de seu edifício foram instalados com base em uma legislação municipal ou estadual, em alguns pouquíssimos casos por exigência da seguradora.

Via de regra o cumprimento das legislações é tido como ponto crítico pela ótica do custo da obra.
Incêndios em prédios residenciais são muito mais frequentes do que pensamos.

Para se tornarem conhecidos publicamente, os incêndios normalmente são grandes tragédias, caso contrário, viram apenas notas em um pequeno jornal.

Quando imaginamos um incêndio em nossa casa tudo muda. Não cogitamos perder nenhuma vida em um incêndio como este.

A pergunta então é: O que fazer?

Se pudesse lhe indicar algumas medidas imediatas seriam as seguintes:

Para seu apartamento:

1. Verifique com um bom profissional toda sua instalação elétrica;

2. Cuidado com cigarro. Fume em lugares apropriados e guarde as guimbas em locais que não tenha materiais combustíveis.

3. Cuidado com as crianças. Mantenham distante fontes de calor, como fósforo e velas.

4. Compre um extintor tipo ABC e instale em um local de fácil visualização. Aprenda a utilizá-lo. Mantenha com a manutenção adequada.

5. Quando viajar desligue o máximo de disjuntores possível e feche todas as portas, elas têm se demonstrado muito eficientes para isolar incêndios.

6. Cuidado com materiais altamente combustíveis principalmente para acabamento de paredes e teto.

Para seu prédio:

1. Verifique se seu prédio está com as documentações atualizadas de liberação pelo Corpo de Bombeiros e pela secretaria de obras, quando obrigatório.

2. Veja se seu prédio passou por alterações arquitetônicas após o alvará do bombeiro. Se passou, procure novamente a diretoria técnica do corpo de bombeiros e verifique se há algum ajuste necessário.

3. Verifique se seus equipamentos de proteção contra incêndio, como chuveiros automáticos, extintores e hidrantes, estão com a manutenção em dia.

4. Verifique se possuem pessoas treinadas para o uso dos hidrantes e extintores 24hs por dia. Este é um ponto crucial. Todos os equipamentos devem ser utilizados no menor tempo possível, pois a propagação do fogo é extremamente rápida.

5. Verifique a possibilidade de treinar os empregados do prédio em cursos de combate a incêndio para eles serem multiplicadores desses conhecimentos aos moradores.

6. Verifique a possibilidade de trocar as mangueiras dos hidrantes por mangotinhos. Estes equipamentos são muito mais fáceis de serem utilizados em caso de incêndio até mesmo por pessoas que não passaram por treinamentos. Mas não deixe de treinar para seu uso.

7. Caso seu prédio seja parte de um grande condomínio de prédios, estude a possibilidade de contratar um bombeiro civil. Mesmo não sendo obrigatório, estes profissionais são especialistas em fogo. São importantes para a prevenção, pois possuem olhos muito críticos para os riscos.

Em um incêndio:

Caso um apartamento de seu vizinho ou o seu próprio venha pegar fogo.

1. Verifique se você está seguro;

2. Saia da área crítica, acione o bombeiro e peça a ajuda dos vizinhos

3. Retire as pessoas que estejam no apartamento se, e somente se, sentir seguro.

4. Feche o máximo de portas sempre que deixar o local com o princípio de incêndio para evitar sua propagação.

5. Combata pequenos focos com o uso de extintores, somente se for treinado. Não esqueça que o extintor tem uma capacidade de atuação de cerca de 1min.

6. Monte linhas de mangueira com os hidrantes somente se for treinado para seu uso.

7. Por último, nunca subestime o tempo de expansão do fogo, ele vai ser dependente dentre outras coisas, do tipo de material utilizado no local e do oxigênio.

Comente abaixo se você identifica alguma outra ação para prevenção a incêndio que você acha importante para uma residência

Lembre sempre que vidas vem em primeiro lugar.

Nos acompanhe nas Redes Sociais e compartilhe nosso conteúdo com seus amigos da área de Segurança Contra Incêndio

Facebook: https://www.facebook.com/FabricioNogueiraUSCI/
Instagram: https://www.instagram.com/fabricionogueira.usci/
Youtube: https://www.youtube.com/c/FabrícioNogueira

FONTE

BOMBEIROS SP, C. DE. Instrução Técnica 22 - SP. , 2011. Disponível em: IT22 . Acesso em: 22 maio 2017.

BRENTANO, T. A proteção contra incêndios no projeto de edificações. 3. ed. Porto Alegre: [s.n.], 2015.

FANTÁSTICO / G1 (R), I. Fantástico - Apenas 14% das 5.570 cidades brasileiras têm Corpo de Bombeiros. Disponível aqui. Acesso em: 1 dez. 2017.

GRENFELL TOWER FIRE. GRENFELL TOWER FIRE. Wikipedia. [S.l: s.n.], 25 dez. 2017. Disponível aqui. Acesso em: 29 dez. 2017.

Incêndio em prédio no Bronx, em Nova York, mata 12 pessoas. Disponível aqui. Acesso em: 8 jan. 2018.

KERBER, S. Analysis of changing residential fire dynamics and its implications on firefighter operational timeframes. Fire technology, v. 48, n. 4, p. 865–891, 2012.

SÃO PAULO. Instrução Técnica 23 - SP. , 2011. Disponível em: IT 23. Acesso em: 25 maio 2017.

WIECZOREK, PH.D, C. J. Grenfell: The Perfect Formula for Tragedy. Disponível aqui. Acesso em: 3 jan. 2018.

Deixe seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *