Hidrantes e Mangotinhos O que são e quais são os tipos?

Hidrantes

O que são Hidrantes e Mangotinhos??

Os hidrantes e mangotinhos são componentes do sistema fixo de combate a incêndio, são compostos de reserva técnica de incêndio (reservatório de água dedicado), canalização fixa e resistente ao fogo, conjunto de bombas de pressurização, pontos de tomadas/saídas e conjunto de mangueiras ou mangotinhos.

Tomadas ou saídas – são válvulas de controle de vazão de água do sistema de incêndio. Estes dispositivos também são os ponto de ancoragem das mangueiras ou mangotinhos.

O sistema de hidrantes e mangotinhos tem o objetivo de combater ou conter o incêndio até a chegada do corpo de bombeiros da região.

Esse artigo toma como base legal as exigências da norma ABNT NBR 13.714 Sistemas de hidrantes e mangotinhos para combate a incêndio e Instrução Técnica 22 (IT-22) de São Paulo, por serem as mais exigentes no Brasil, porém, você deve consultar a legislação de segurança contra incêndio e pânico do seu estado ou cidade.

Tipos de Hidrantes

Hidrantes Urbanos

Hidrantes

Hidrante Urbano

Os hidrantes urbanos são os primeiros que surgem em nossa mente quando falamos no assunto. A sua imagem é muito utilizada em filmes e desenhos animados, até mesmo na cidade, quando caminhamos vemos com frequência.

Esse tipo de hidrante não é de responsabilidade da edificação, mas é abastecido pela companhia de água de sua cidade. São instalados na calçada e possuem registro que impossibilita o seu acionamento por qualquer pessoa, uma chave específica que fica em poder do corpo de bombeiros é a principal forma de liberar o fluxo de água. Esses hidrantes ainda possuem uma ou mais saídas para acoplamento de mangueira de combate a incêndio.

Hidrantes de Recalque

A norma trata como dispositivo de recalque. Esse hidrante pode ser localizado em áreas externas das edificações, ou na calçada, podem ser enterrados, quando na calçada, e de coluna, quando em passeio. Esses tipos de hidrantes são de responsabilidade particular da edificação. O objetivo principal deste dispositivo é o abastecimento do sistema de combate a incêndio, RTI, através do caminhão de Corpo de Bombeiros. As válvulas a serem instaladas devem permitir fluxo nos dois sentidos. Se o caminhão do Corpo de Bombeiros ficar sem água, ele poderá fazer uso da RTI local para abastecer e combater o incêndio em outra localidade.

hidrante de Recalque

Hidrante de Recalque

Os hidrantes de recalque nunca deverão ser instalados em locais de passagem de veículo ou estacionamento que obstruam o acesso.

Hidrantes Industriais

Encontramos estes com maior frequência em fábricas e parques industriais, trata-se de hidrantes bem específicos e calculados para combate levando em consideração vazão e pressão para proteção da edificação ou estrutura específica. É fundamental ter hidrantes desse tipo, devido as atividades ali exercidas e o potencial risco de incêndios graves. Estes hidrantes, são em sua maioria, de coluna e normalmente não estão dispostos com mangueiras, é necessário que a brigada de incêndio se desloque em posse das mangueiras no momento do combate.

Não há menção destes tipos de hidrantes na NBR 13.714 nem na IT-22 de SP. NBR 13.714 não se aplica a indústria petroquímica assim como a instalações de armazenagem de gases e líquidos inflamáveis.

Hidrantes de Parede

Hidrante de Parede, Hidrantes, Hidrantes e mangotinhos

Hidrante de Parede

O hidrantes de parede são encontrados principalmente na parte interna de edificações comerciais e residenciais, suas tomadas/saídas são na parede em uma altura padronizada pela ABNT/NBR e IT22 que facilita sua visualização e utilização. É obrigatório ter um abrigo ao lado da tomada/saída desses hidrantes. Dentro do abrigo deve conter mangueira ou mangotinhos e seus componentes. A tomada/saída pode está dentro do abrigo, mas isso não é obrigatório.
Estes hidrantes  devem ser utilizados tanto por brigadistas quanto por pessoas treinadas e familiarizadas com o equipamento.No caso de hidrantes, os abrigos possuem: uma ou duas mangueiras, chave storz e esguicho (podendo ser regulável ou não).

Volto a falar que esses os hidrantes de parece são os mais encontrados mesmo assim é necessário um básico de treinamento pra sua utilização, pois, é um sistema que trabalha sobre pressão, e no momento de uso o operador estará sobre forte ansiedade necessitando de maior cuidado com os passos a serem tomados pois a segurança dele estará em risco.

Mangotinhos

No caso de mangotinhos, os abrigos possuem: um carretel de mangotinho e um esguicho regulável na ponta. A grande diferença é que o sistema de mangotinho fica constantemente montado, pressurizado e acoplado a canalização, sendo assim, seu uso é imediato e pode ser usado por uma pessoa com pouca experiência. Porém, não é aplicável em qualquer edificação, sendo permitido em edifícios de risco pequeno como edifícios residenciais, nesses casos, seu uso é insuperável.

Mangotinho

Mangotinho

Há estados que a sua legislação já dá a preferência ao uso de mangotinhos, é o caso do Rio Grande do Sul, por exemplo. Há autores especializados, que de forma categórica, afirmam que é inútil ter todo o sistema com altíssimas vazões e diâmetro de canalizações se o ocupante da edificação no momento necessário não souber utilizar o equipamento instalado. É melhor então dispor de sistemas mais simples. Por isso indico, sempre que for possível, a utilização de mangotinhos ao invés de hidrantes, faça-o. A sua operação oferece menor risco, maior agilidade pela sua simplicidade na operação.

A principal desvantagem técnica do uso do mangotinho é a maior perda de carga causada pelo seu esguicho regulável. Com isso há uma necessidade de maior pressão na rede.

 

CONSIDERAÇÕES GERAIS

Para informações mais específicas ou aprofundadas aguardem mais publicações em nossa página, canal do YouTube ou acesse a legislação de seu estado e as seguintes normas:

    • ABNT NBR 13.714 (2000) - Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio. (clique aqui)
    • ABNT NBR 5667 (2006) - Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil. (clique aqui)
    • ABNT NBR 14870-1 (2013) - Esguicho para combate a incêndio - Parte 1: Esguicho básico de jato regulável. (clique aqui)
    • ABNT NBR 11.861 (1998) - Mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio. (clique aqui)
    • IT-22 Instrução Técnica- 22 São Paulo (2011) - Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio. (clique aqui)

 

 

Deixe seu Comentário